A Charqueada Santa Rita

A Charqueada Santa Rita, antiga Charqueada de Inácio Rodrigues Barcellos, construída em 1826 em estilo colonial, é parte importante da história da cidade de Pelotas, já que fez parte, segundo Gutierrez (2001), do Núcleo Charqueador Pelotense. Este Núcleo, de acordo com a autora, estendia-se, principalmente, entre as localidades do Retiro até a entrada do canal São Gonçalo, compreendendo o próprio Retiro, o Cotovelo, o Cascalho, a Boa Vista, a Costa, o Areal e o Atoladouro. A maior densidade de charqueadas e, conseqüentemente, de escravos, estava localizada entre a Boa Vista e o canal São Gonçalo: em torno de 15 estabelecimentos no Arroio Pelotas e oito no chamado sangradouro da Mirim.

A família Rodrigues Barcellos deteve o maior número de charqueadas, todas localizadas no final da descida do arroio Pelotas, entre a Costa e a Boca do Arroio, como conta Gutierrez (2001). A localização dos estabelecimentos da família Rodrigues Barcellos teve a seguinte ordem: nos dois terrenos iniciais da Costa, os empreendimentos de Boaventura Rodrigues Barcellos (atual Cabaña El Abolengo e arredores); na primeira parte do Areal, a charqueada de Inácio (atual Santa Rita) e uma das charqueadas de Cipriano Rodrigues Barcellos; nos Coqueiros, uma das charqueadas de Bernardino; na segunda parte do Areal, a outra propriedade do mesmo Bernardino; e, no Atoladouro, próximo ao Canal São Gonçalo, a segunda charqueada de Cipriano.

A Charqueada Santa Rita localizava-se entre as charqueadas de Antônio Gonçalves Chaves (atual São João) e a de Cipriano Rodrigues Barcellos. De acordo com Gutierrez (2001), nos inventários realizados em 1863, contavam-se, na Charqueada Santa Rita, 30 escravos, plantel mantido sem variações até a década de 80.

Foi na Charqueada Santa Rita que se instalou a primeira fábrica de enlatados de carne da cidade de Pelotas, denominada popularmente como Fábrica de Línguas. Tal empreendimento gerou o posterior desenvolvimento de frigoríficos na região, entre eles o Frigorífico Anglo, fundado por um grupo Britânico, o qual exportava carne enlatada para a Europa e outros mercados. Com o sucesso da Fábrica de Línguas, a Charqueada Santa Rita tornou-se talvez a única charqueada a manter atividade produtiva e lucrativa, enquanto o ciclo do charque decaía.

No começo dos anos 60 os herdeiros venderam a propriedade para Geraldo Mazza, o qual realizou benfeitorias, como o restauro do galpão à beira do Arroio Pelotas. Em 1988 foi adquirida pela família Cunningham, responsável pelo minucioso restauro da casa principal, entre várias outras melhorias na propriedade. A partir do ano de 2000 passa a ser propriedade da família Clark.

Por coincidência, Mr. Horace Griffiths, avô materno do atual proprietário, e Mr. Ernest Cunningham, avô paterno de Oliver Murray Cunningham, proprietário anterior, foram responsáveis pela instalação dos frigoríficos Anglo na América do Sul (mais especificamente na Argentina e Brasil) e, conseqüentemente, em Pelotas.

Hoje a Charqueada Santa Rita possui uma charmosa e aconchegante pousada e um espaço amplo e diferenciado para a realização de eventos variados, além de abrigar o acervo do Museu do Charque.

© Charqueada Santa Rita | Desenvolvido por aW³